Quinta, 26 de Maio de 2022
35°

Pancada de chuva

Campo Maior - PI

Dólar
R$ 4,78
Euro
R$ 5,12
Peso Arg.
R$ 0,04
Piauí DENUNCIA

Alunos da UESPI de Piripiri denunciam falta de professores e a precariedade do campus; MP sendo acionado

Denúncia comprova o descaso do Governo Estadual com a Educação

29/04/2022 às 22h27
Por: MARCELO BARROS Fonte: PIRIPIRI REPORTER
Compartilhe:
Alunos da UESPI de Piripiri denunciam falta de professores e a precariedade do campus; MP sendo acionado

Estudantes do curso de Bacharelado em Direito da Universidade Estadual do Piauí, Campus Prof. Antônio Geovanne Alves de Sousa (Piripiri), entraram em contato com o Piripiri Repórter para falar do descaso que estão vivendo frente a situação do campus. Além da precariedade estrutural, os alunos sofrem com a falta de professores e consequentemente de aulas.

Segundo informações repassadas a nossa equipe, o curso de Direito do campus conta atualmente com seis turmas, 163 alunos no total e apenas três professores efetivos e três substitutos, cabendo ressaltar que a instituição no ano de 2021 realizou um teste seletivo para o cargo de professores substitutos, ficando nove professores aprovados no cadastro de reserva, mas que nunca foram convocados.

Os alunos relatam que o curso de Direito deveria ter seis disciplinas ministradas por bloco, com um total de 36 disciplinas divididas entre as seis turmas ativas, porém existem turmas que foram ofertadas apenas duas ou três matérias por período, atrasando, assim, a formação dos alunos.

"Estamos vivenciando na Uespi de Piripiri, um grande descaso com a educação superior pública, temos enfrentado a falta de professores e uma infraestrutura precária”, explicou o estudante Wullisses Oliveira, que cursa o sétimo bloco de direito na Universidade.

“Nós estamos pedindo uma educação de qualidade, não estamos pedindo favores, queremos os nossos direitos cumpridos e respeitados, pois a Uespi pede socorro”, conclui o aluno.

Sem obterem respostas, os  estudantes encaminharam uma petição ao promotor titular da terceira promotoria de Justiça de Piripiri, onde solicitaram uma intervenção ministerial para propor ações que possam reverter a situação em que o campus se encontra.

Outro ponto que os acadêmicos disseram ao Piripiri Repórter é que alguns professores insistem em continuar com o modelo remoto (EAD), mesmo após a divulgação do calendário acadêmico que prevê o retorno das aulas 100% presenciais. Diante deste fato, os alunos revelam que se sentem prejudicados, pois, segundo eles, o modelo de aulas à distância se torna menos efetivo.

Encerramos essa matéria prestando a nossa solidariedade aos alunos que estão enfrentando essa dificuldade, com a esperança de que essa situação seja resolvida.

Por Ystefani Lima – Repórter do PIRIPIRI REPÓRTER

Ele1 - Criar site de notícias